SP terá reunião com o BNDES – Lance 31/7

logo lance
Ótima notícia publicada na coluna De Prima, no Lance de hoje! Uma reunião com o BNDES para discutir um empréstimo para a reforma do Morumbi para 2014 é um fator fundamental para conseguir ser definitivamente confirmado como estádio da Copa.

Claro que se trata de apenas uma reunião e que o BNDES é muito rigoroso na concessão de financiamentos. Os clubes de futebol não são os melhores pagadores, mas existe uma grande diferença no caso do São Paulo: o Morumbi. O estádio, que já dá lucros atualmente, poderá ser utilizado como garantia para o empréstimo.

A informação de que o clube, apesar da reunião, já tem pré-acordos com interessados para 2014 bate com a reportagem da revista oficial. O clube espera apenas acertar detalhes do projeto para ver se consegue formalizar estes acordos. E quem sabe essa reunião com o BNDES não é justamente para conseguir recursos para estes parceiros?

ps – Vale destacar importantes apoios do São Paulo dentro do governo federal. Já tivemos a visita do presidente Lula. O ministro dos Esportes, Orlando Silva, negocia a permanência do Roger no Vitória. Já o ministro do Turismo, Luiz Barreto, é são-paulino fanático.

São Paulo: reunião com BNDES para reformar Morumbi

O São Paulo fará segunda-feira em Brasília uma reunião com o BNDES por uma linha de crédito para a reforma do Morumbi. Apesar disso, o assessor da presidência Ataíde Gil Guerreiro diz que há pré-acordos com empresas que cobrem os R$ 300 milhões. Só falta formalizá-los.

Confira no site

Painel FC – 31/7

lgo-fsp-430x50-ffffff (1)

Do e para o futebol

Além de ter fixado setembro como prazo para as cidades-sedes explicitarem como usarão seus estádios antes e após a Copa-2014, o comitê organizador quer ver em seus projetos “”muito” futebol. Gente ligada ao comitê alega que, mesmo após o Mundial, é do futebol que deve vir o grosso da receita de estádios -e que as cidades terão de mostrar como farão isso. A exigência atinge em cheio o argumento daqueles que defendem que a renda pode sair de shows, restaurantes, turismo, realização de torneios de outras modalidades etc.
Expert. O ex-vice do Banco Central, Carlos Langoni, será uma das pessoas que fiscalizarão se os planos de uso batem com os projetos arquitetônicos dos estádios da Copa-14.

Não tem muito o que comentar dessa notícia que saiu na edição de sexta-feira da Folha no Painel FC. É mais uma notícia dando conta de que a viabilidade dos estádios pós-Copa do Mundo é uma preocupação grande do Comitê Organizador.

Não consegui decifrar qual é a intenção com isso. Acredito que possa ser uma “desculpa” para tirar cidades menos importantes da lista das 12 sedes. Como já comentei, a intenção da FIFA sempre foi para 10 cidades. De repente, eles arrumam a justificativa para essa redução.

Essa nota deixa claro que os estados onde tem futebol forte estão na frente. E que Pernambuco pode ter que repensar sua “Cidade da Copa”. O estado tem três importantes equipes, mas todas têm seu próprio estádio.

Dentre as selecionadas, não possuem times que costumam lotar estádios: Cuiabá, Brasília e Natal. Até mesmo Fortaleza, sem uma equipe na elite do futebol, costuma ver o Castelão lotado nos clássicos entre Fortaleza e Ceará na Série B.

Arena pode ficar fora da Copa 2014 – Bem Paraná – 30/7

Imagem do projeto da Arena da Baixa, em Curitiba

Imagem do projeto da Arena da Baixa, em Curitiba

Essa notícia saiu no final da tarde de quinta-feira na imprensa paranaense. Não consegui entender direito o que o presidente do Atlético-PR quis dizer com frases como “Não tenho que estar perdendo tempo com Copa do Mundo. Isso é problema da cidade. A Copa é de Curitiba. O Atlético tem o estádio para ceder. Mas eles é que precisam resolver esse problema. Deixa essa Copa para a Prefeitura resolver. Eu tenho que cuidar do time do Atlético. Isso é o que me toma tempo”.

Não sei se ele está irritado com alguma pressão que acontece lá no Paraná ou se ele está pedindo dinheiro público para a Arena da Baixada. Oras, se a prefeitura for investir dinheiro de seu próprio bolso para 2014, ela vai fazer isso em um estádio que seja dela.

Com isso, começa a ganhar força o projeto da reforma do Couto Pereira. O Coritiba está se movimentando. Vamos ver o que vai acontecer.

Mas esse tipo de notícia não ganha destaque aqui. O legal é falar que só o Morumbi tem problemas.

—-

Arena pode ficar fora da Copa 2014

“Se não tivermos quem banque essa diferença, corre o risco de a Copa não vir para a Arena. Pode ir para o Pinheirão. É só a Prefeitura reconstruir o Pinheirão”

Marcos Malucelli admitiu ontem que a Copa do Mundo de 2014 pode ir para outro estádio de Curitiba. “Para concluirmos a Arena, pelo projeto aprovado desde 1999, precisamos de R$ 30 milhões. Concluímos o segundo anel e deixamos pronto para jogos do Atlético”, contou. “Para isso, não há problema. Conseguimos pagar com o tempo”, afirmou.
“Só que para fazer jogos da Copa do Mundo temos que mudar o estádio, acrescentar exigências do caderno de encargos, e esse valor salta para R$ 138 milhões”, disse. “Podemos pegar empréstimo do BNDES, com juros de 0,5% ou 1%. Mas depois? Como vamos pagar como esses R$ 100 milhões a mais?”, questionou.
“Se não tivermos quem banque essa diferença, corre o risco de a Copa não vir para a Arena. Pode ir para o Pinheirão. É só a Prefeitura reconstruir o Pinheirão. Por que o Atlético tem que arcar com esses R$ 100 milhões?”, indagou.
A única solução, segundo o presidente, é encontrar um investidor. “Já fomos procurados por bancos da China e até pelo Governo da Líbia. Mas uns querem explorar o estádio e outro a publicidade”, comentou. “Só aceitamos essa conclusão com dinheiro que não seja do Atlético. E que o investidor fique com retorno publicitário, mas não (com contrato) para explorar o estádio”, afirmou.
“Não tenho que estar perdendo tempo com Copa do Mundo. Isso é problema da cidade. A Copa é de Curitiba. O Atlético tem o estádio para ceder. Mas eles é que precisam resolver esse problema. Deixa essa Copa para a Prefeitura resolver. Eu tenho que cuidar do time do Atlético. Isso é o que me toma tempo”, desabafou.
Malucelli explicou por que a diferença entre os dois projetos chega a R$ 100 milhões. “Os vestiários que são atrás dos gols têm que ter entrada pelo centro do gramado. É tudo novo: fiação, encanamento, louça. Os quatro pilares enormes precisam sair fora. As cadeiras ao lado do pilar ficam com ponto cego. São 300 pontos cegos. Temos que fazer outra cobertura, outra sustentação. Tem que fazer área de pânico. Não pode ter o fosso. Em caso de pânico, o torcedor correr para o gramado. E precisamos de estacionamento subsolo. Tudo isso para três ou quatro jogos da Copa. Mas nas nossas costas”, disse.

Confira a matéria no site

Projeto do estádio de Cuiabá será contratado sem licitação – Portal da Copa – 30/7

Projeto do Verdão, em Cuiabá

Projeto do Verdão, em Cuiabá

Um comentário rápido, de uma notícia que saiu no Portal da Copa. Bom, vão fazer em Cuiabá o estádio sem realização de uma licitação. A justificativa é que não tem tempo hábil para licitar a obra.

Tudo bem. Se o pensamento do governo do Mato Grosso está certo, então o mesmo vai acontecer em todos os outros estados com estádios públicos, certo? Tem estado que ainda nem sabe qual será o projeto. No Rio de Janeiro não sabem se vão demolir os complexos esportivos ao lado do Maracanã. Com o tempo apertado, tome obra sem licitação…

Obra sem licitação é um convite para a corrupção. Pode até acontecer tudo certo, sem problemas. Só que nunca será tão transparente.

ps – Se lá, com projeto escolhido e local definido não tem tempo para licitação, imagine para fazer um novo estádio em São Paulo.

Projeto do estádio de Cuiabá será contratado sem licitação

O governador Blairo Maggi, do Mato Grosso, divulgou ontem (29/7), o calendário das obras de construção do novo estádio Governador José Fragelli (Verdão). Segundo informações do jornal Expresso Mato Grosso, a construção será iniciada no dia 31 de janeiro de 2010, conforme exige o calendário ajustado com a Fifa. “Diante da necessidade de lutar contra o tempo, haverá dispensa de licitação (de R$ 12 milhões) para a contratação da empresa que fará o projeto. A decisão foi criticada pelo vice-presidente do Sinaenco – Sindicato da Arquitetura e Engenharia, João Alberto Viol.

No total, o estado do Mato Grosso investirá R$ 430 milhões no novo estádio. Para acompanhar o andamento da obra, será contratada uma empresa de consultoria que participou na organização das Copas da Alemanha, em 2006, e da África do Sul, em 2010. Esta empresa receberá cerca de R$ 4 milhões pelo serviço. O governador pediu apoio dos poderes Legislativo e Judiciário para o cumprimento do cronograma. Os presidentes do Tribunal de Justiça, Mariano Travassos; do Tribunal de Contas, Antônio Joaquim; e o deputado estadual Maksuês Leite já garantiram apoio para a execução do projeto.

Licitação é necessária, diz Sinaenco
“Apertar a etapa de projeto para ganhar dois ou três meses pode gerar enormes problemas e prejuízos ao longo das obras, gerar atrasos e aumento de custos de forma imprevisível”, comentou o engenheiro João Alberto Viol, vice-presidente do Sinaenco. Viol lembrou que desde 2007, quando iniciou a campanha pela Copa 2014, o Sinaenco tem defendido a necessidade de que os projetos sejam licitados para que os contratantes possam ter o melhor projeto com a melhor qualidade e melhor preço. “A lei brasileira exige que os projetos de obras públicas sejam licitados para garantir que a melhor técnica seja escolhida, de forma a garantir a qualidade da obra, o prazo adequado e evitar desperdícios de dinheiro público. Economizar no projeto – que significa cerca de 5% do valor da obra – pode gerar gastos adicionais de 20% a 30% nos gastos com a obra, além de atrasos e problemas com os tribunais de contas e demais organismos de controle”, explica o especialista.

João Viol lembrou que a pressão da Fifa pelo prazo neste momento poderá gerar prejuízos no futuro. “E se é verdade que o governo de Mato Grosso está mesmo apressando o projeto por causa do prazo da Fifa, então o problema vale para todo o Brasil, o que pode ser muito mais grave”, comentou. Até o fechamento da reportagem não havíamos conseguido falar com o coordenador da Copa em Cuiabá, Yuri Bastos.

Expresso Aeroporto

Mapa da linha do Expresso Aeroporto

Mapa da linha do Expresso Aeroporto

Nesta semana foi divulgada uma notícia que o Ministério Público conseguiu na Justiça a paralisação das obras do Expresso Aeroporto e do Trem de Guarulhos por questões ambientais. O governo nega que exista este problema e irá recorrer. O fato é que as obras ainda não começaram, já que a licitação será na segunda metade de agosto.

Essa talvez seja uma das obras mais importantes com o horizonte na Copa de 2014. Em pouco tempo, um turista que chegar em Cumbica poderá estar na região da Avenida Paulista, já que o desembarque será na Estação Luz, de onde sairá a Linha 4 Amarela.

Vou aproveitar esse post para falar sobre o Expresso Aeroporto.

A linha será implantada aproveitando uma faixa já existente da linha da CPTM, no entanto, será uma via nova e exclusiva, que deve somar 28,1 quilômetros de extensão com duas estações (uma na área central de São Paulo e outra no Aeroporto).

Em um primeiro momento, o intervalo entre os trens será de 15 minutos, sendo que cairá para 10 minutos quando o projeto estiver totalmente terminado.

No total do traçado da linha do Expresso Aeroporto, 14 km serão em superfície, 8,8 km em elevados e 5,5 km em túneis, incluindo o cruzamento da área central de São Paulo.

Uma das propostas é que as estações funcionem como Terminais Remotos Aeroportuários com plataformas exclusivas e balcões das companhias aéreas onde poderá ser realizado o “check-in” de passageiros, com entrega de cartão de embarque e despacho de bagagens.

O Expresso Aeroporto ofertará inicialmente seis trens de oito carros, em intervalos de 15 minutos, com capacidade para 2.400 passageiros/hora. No futuro, considerando o crescimento da demanda, a capacidade total será de 3.600 passageiros/hora.

Na pesquisa de agora eu não achei a parte que fala dos valores para as tarifas. Pelo que me lembre, ficou determinado que o valor seria na casa dos R$ 35. Ficando um pouco mais caro que o serviço de ônibus executivo, mas muito mais barato que ir de taxi. A grande vantagem será a possibilidade de já realizar o check-in no embarque do trem.

Nos próximos dias, falarei de outros importantes projetos de infraestrtura da cidade de São Paulo.

Balanço após um mês de blog

O meu “trabalho” com o blog está completando um mês. Uma tarefa de pesquisar diariamente notícias e informações de tudo o que diz respeito à Copa do Mundo de 2014. Tudo começou quando me incomodava de não encontrar uma fonte única e boa de informações. Então resolvi eu mesmo pesquisar as notícias e reunir em um único lugar.

A idéia ainda é, na medida do possível, fazer algumas matérias exclusivas. Já entrei em contato com o escritório do Ruy Ohtake, mas vou esperar a data mais próxima do prazo para consegui as informações mais completas possível sobre o projeto do Morumbi.

Diferentemente dos outros blogs, não tenho muita preocupação com um volume alto de audiência. Mesmo porque a idéia não é ter volume de acessos e sim qualidade. Não quero o torcedor que pensa “JJ seu pinguço, dane-se a Copa e contrata jogador”. Também não fico entrando toda hora em Orkut para divulgar. Fiz isso uma vez com um assunto que considerei muito importante.

Fico feliz de ter conseguido míseros quatro mil visualizações do blog em um mês. E fico mais feliz ainda de ver que a média diária está subindo. É um trabalho de formiguinha, feito para aqueles torcedores que se interessam pelo projeto do Morumbi para 2014.

Um grande abraço a todos e o trabalho continua.

Mais do mesmo… de novo

i

Inveja?

Apesar de ter um certo respeito, principalmente no que diz respeito à credibilidade de informações sobre o Corinthians, o jornalista (?) Paulinho não é uma boa fonte quando o assunto é outros clubes.

O que mais me impressiona é como não tem absolutamente nada de novo nas informações. Muito pelo contrário, são as informações antigas.

Hoje em seu blog, não vou colocar link, ele colocou post abaixo. Meus comentários em vermelho:

FIFA torna as coisas ainda mais difíceis para o Morumbi

Julho 29, 2009 por Paulinho

O São Paulo terá grandes dificuldades para atender as exigências da FIFA para a Copa do Mundo.

A entidade comunicou a CBF que não abre mão do Estacionamento para 3000 carros, da cobertura no Estádio e das reformas que possibilitem acomodações dignas para os profissionais de imprensa. O que mudou? Existe projeto para o estacionamento de 3,6 mil carros. Além disso, teremos sim a cobertura (com interesse de bancos nesse caso). Sobre a área de imprensa, o novo projeto já tem essas adaptações.

O prazo é muito curto.

A vistoria acontecerá em fevereiro de 2010. O prazo mais apertado é fim de agosto, para a entrega dos projetos e, teoricamente, com o nome de todos os parceiros que vão viabilizar as obras.

Fontes ligadas ao Governo acreditam que a demora do Tricolor em anunciar que não conseguiu parceiros para as obras tem um fator motivador. Ninguém tem todos os parceiros. O SPFC está esperando apenas definir todos os detalhes do projeto para poder assinar os acordos. Por enquanto, já tem a Visa e a Volkswagen como parceiras.

Se a data limite para o projeto estourar, acreditam que o Estado não terá escolha e deverá liberar dinheiro para as obras, com a finalidade de evitar o que seria um verdadeiro vexame. Isso não irá acontecer.

O site Mídia sem Média, da amiga Fernanda D’O Neil, enviou algumas perguntas ao Tricolor, referentes a este caso.

No momento aguarda as respostas.