Painel FC – 31/7

lgo-fsp-430x50-ffffff (1)

Do e para o futebol

Além de ter fixado setembro como prazo para as cidades-sedes explicitarem como usarão seus estádios antes e após a Copa-2014, o comitê organizador quer ver em seus projetos “”muito” futebol. Gente ligada ao comitê alega que, mesmo após o Mundial, é do futebol que deve vir o grosso da receita de estádios -e que as cidades terão de mostrar como farão isso. A exigência atinge em cheio o argumento daqueles que defendem que a renda pode sair de shows, restaurantes, turismo, realização de torneios de outras modalidades etc.
Expert. O ex-vice do Banco Central, Carlos Langoni, será uma das pessoas que fiscalizarão se os planos de uso batem com os projetos arquitetônicos dos estádios da Copa-14.

Não tem muito o que comentar dessa notícia que saiu na edição de sexta-feira da Folha no Painel FC. É mais uma notícia dando conta de que a viabilidade dos estádios pós-Copa do Mundo é uma preocupação grande do Comitê Organizador.

Não consegui decifrar qual é a intenção com isso. Acredito que possa ser uma “desculpa” para tirar cidades menos importantes da lista das 12 sedes. Como já comentei, a intenção da FIFA sempre foi para 10 cidades. De repente, eles arrumam a justificativa para essa redução.

Essa nota deixa claro que os estados onde tem futebol forte estão na frente. E que Pernambuco pode ter que repensar sua “Cidade da Copa”. O estado tem três importantes equipes, mas todas têm seu próprio estádio.

Dentre as selecionadas, não possuem times que costumam lotar estádios: Cuiabá, Brasília e Natal. Até mesmo Fortaleza, sem uma equipe na elite do futebol, costuma ver o Castelão lotado nos clássicos entre Fortaleza e Ceará na Série B.

%d blogueiros gostam disto: