“Guerra” entre bancos pode pagar a obra do Morumbi – Blog do Birner – 12/8

bancos

Vou reproduzir o que o Victor Birner escreveu em seu blog na tarde de quarta-feira (12). Não tem muito o que comentar. Birner é um jornalista bastante competente e muito bem informado sobre o São Paulo Futebol Clube.

As informações, de certa forma, confirmam o que ele já havia dito a algumas semanas sobre o interesse de bancos pela cobertura do estádio do Morumbi. Com tanta informação, não tem nem muito o que comentar.

Só para constar, com o balanço financeiro divulgado na quarta-feira de noite, o Banco do Brasil superou o Itaú e é agora o maior banco do país.

Segue a nota

“Guerra” entre bancos pode pagar a obra do Morumbi

De Vitor Birner

O jornalista Marcelo Damato, responsável pela coluna DE PRIMA, no lance! publicou na edição de hoje que o São Paulo quer o Bradesco como intermediário no financiamento do BNDES para o Morumbi.

O Tricolor só projeta resultados até 2011, quando passará por eleições, e o histórico de dívidas dos clubes causa temor no banco. O Bradesco receberia o dinheiro e repassaria ao clube, que pretende pagar em 12 anos com juros de 4,5% a 6%.

http://www.lancenet.com.br/de-prima/noticias/09-08-12/597452.stm?bndes-sao-paulo-quer-bradesco-como-intermediario

Mais informações

De fato essa é a principal estratégia alternativa se o BNDES não emprestar o dinheiro. No BNDES, a estratégia é vista com bastante simpatia (isso é informação, não suposição).

O Bradesco é parceiro do São Paulo desde a construção do Morumbi.

Todavia o presidente Juvenal Juvêncio não desistiu de conseguir o improvável empréstimo direto no BNDES. E ainda não sentou com ninguém do Bradesco para negociar a intermediação

No caso, o Bradesco pegaria o empréstimo do BNDES e o São Paulo do Bradesco.   Trabalhar com o banco sem dúvida é a tendência, todavia existem duas outras opções.

O Itaú recentemente adquiriu camarote no Morumbi. Estreitou a relação com a cartolagem. Patrocina a seleção brasileira e a Copa do Mundo de 2014.

E o Banco do Brasil, interessado em competir por espaços publicitários com os concorrentes.

A estratégia do Itaú de colocar a sua marca na parte frontal do ombro das camisas do selecionado é considerada grande sacada pelos especialistas em marketing.

E mexeu com a concorrência.

O próprio Itaú recem inaugurou campanha publicitária onde utiliza o apresentador Luciano Huck: quem possui cartão do banco, paga metade do valor dos ingressos

O Bradesco, na sua publicidade, “responde” afirmando que o Brasil não é apenas o país do futebol. É da agricultura, pecuária…

O Banco do Brasil tem outra estratégia. Quer fazer, como no vôlei, a torcida Banco do Brasil nos estádios de futebol. Pretende ver um setor com pessoas usando o tradicional amarelo dos ginásios de vôlei.

Em suma, na  deflagrada “guerra”  de marketing entre os bancos, o futebol tem seu papel importante.

O Itaú lidera. O Banco do Brasil quer entrar nela, e o Bradesco corre atrás do espaço perdido para seu grande concorrente.

E o São Paulo precisa de alguém que financie a obra do Morumbi.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: