Dirigente do Inter cobra isenção fiscal do governo Lula – Estadao – 20/8

oesp

Estou em dívida com os leitores do blog. Quase não dei atenção para ele hoje. Estive bastante ocupado hoje, além de ter problemas com o computador. A sexta-feira (21) é um dia importante para o projeto do Morumbi e espero conseguir as informações para manter todos a par do que aconteceu no encontro com a Fifa.

No site do Estadão, acaba de ser publicada uma notícia falando sobre isenção fiscal. Um dirigente do Internacional cobra o governo federal para que aprove a isenção fiscal para a compra de materiais para a construção e reforma dos estádios.

Apesar de ser uma praxe em todos os países que organizam a Copa, certamente isso vai gerar muita polêmica. Vai ter gente dizendo que isso é uso de dinheiro público (já que haverá uma renúncia fiscal) para o Morumbi, Beira-Rio e Arena da Baixada. Vamos ver o que vai dar.

Confira a nota no site

Dirigente do Inter cobra isenção fiscal do governo Lula

O vice-presidente de Patrimônio do Internacional, Emídio Marquês Ferreira, cobrou nesta quinta-feira do governo federal a “prometida” isenção total de impostos na compra de material para a reforma ou construção de estádios para a Copa do Mundo de 2014, a ser realizada no Brasil.

Ele afirmou que o clube vai gastar R$ 130 milhões a R$ 150 milhões na reforma do Estádio Beira-Rio, que pertence ao clube e vai receber jogos do Mundial, e precisa de incentivo.

O dirigente ameaçou: “Se não houver isenção de impostos, o Inter não vai se preocupar com a Copa”, disse, após participar de reunião com uma comitiva da Fifa, nesta quinta, no Rio de Janeiro. “Estamos preocupados. Há três meses fomos escolhidos sede do Mundial e não estamos vendo movimentação do governo [em relação à isenção]”.

Ferreira não parou por aí. “Dizem que o Inter ganha mídia com a Copa. Mas mídia não garante leite. O que o Inter vai ganhar com o Mundial? Faríamos obras no Beira-Rio com ou sem a Fifa”, ressaltou. “Se não tiver seriedade do governo federal, não tem Copa”, completou. “Não queremos dinheiro público e sim isenção de impostos. O Atlético Paranaense e o São Paulo também querem”.

O dirigente disse que o governo federal “roeu a corda”. “Prometeu isenção de impostos no PAC da Copa e voltou atrás”, criticou. “O Brasil ganha com a Copa, os clubes não”.

São Paulo e Rio de Janeiro encerram nesta sexta o seminário das cidades-sede com a comitiva da Fifa sobre a adaptação dos projetos para o Mundial.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: