Sedes ignoram primeiro prazo do Mundial-2014 – Folha – 1/9

o-grito1

Meu único comentário para essa notícia é: Se o Morumbi é a maior preocupação, a coisa deve ser realmente complicada, já que a falta de licitação não deve ser um grande problema.

Sedes ignoram primeiro prazo do Mundial-2014

Nenhuma licitação de estádios públicos foi lançada até ontem, data-limite

Comitê Organizador decide desconsiderar exigência para concorrências e, agora, só cobra início das reformas de arenas até fevereiro

PAULO COBOS
RODRIGO MATTOS
DA REPORTAGEM LOCAL

O primeiro prazo referente à construção dos estádios da Copa-2014 foi descumprido pelas cidades-sedes. Nenhum dos nove governos estaduais lançou o edital de licitação das obras das arenas do Mundial até ontem, como exigia o COL (Comitê Organizador Local).

Desde a escolha das 12 cidades, em maio, funcionários do comitê têm dito que os documentos teriam de estar prontos até 31 de agosto. Houve até ameaças de exclusão, mas o COL optou por desconsiderar a data-limite após reunião.

A decisão do comitê ocorreu porque algumas sedes não teriam como atender o prazo. Essa exigência só valia para projetos estatais -são nove entre os que têm de fazer licitação para iniciar reformas ou construção.

Agora, o COL só cobrará que as obras comecem em fevereiro de 2010, como manda a Fifa.
Os governos estaduais garantem que vão atingir essa meta. Mas alguns deles nem iniciaram o processo licitatório dos estádio. É o caso do Mineirão.

Por enquanto, o governo mineiro está perto de contratar a Fundação Getúlio Vargas para acompanhar a obra. É provável que, inicialmente, a licitação seja só para parte da reforma.
“De forma otimista, podemos prever para novembro, dezembro [a licitação]”, disse o secretário de Esporte e Juventude de MG, Gustavo Corrêa.

Mato Grosso e Rio Grande do Norte também não iniciaram os processos licitatórios para o Verdão e a Arena das Dunas. Os mato-grossenses assumiram os custos da obras, mas os nordestinos ainda apostam em investidor privado.

A indefinição do modelo de financiamento é responsável por parte dos atrasos. Manaus, por exemplo, esperava parceiros. Começou sem eles -o Estado bancará um ano de obras.

A previsão é que o edital de licitação do Vivaldão esteja pronto em 30 de novembro -o vencedor sairia no meio de janeiro. “E 15 dias depois já começamos as obras”, relatou o secretário de Planejamento do Amazonas, Denis Minev.

Antes, o COL exigia que até o final do ano o processo de contratação estivesse concluído.
O dilema repete-se em Brasília. Não há parceiros que financiem as obras do Mané Garrincha. Mas já existem empreiteiras pré-qualificadas para a obra com dinheiro público. Em seguida, será aberta a licitação.

“Chegou um pessoal para conversar. Mas o governador avisou que não pagará todo o estádio para depois outro administrar”, afirmou o secretário de Esporte e Lazer do DF, Aguinaldo de Jesus.

Rio de Janeiro, Pernambuco, Bahia e Ceará estão mais adiantados no processo licitatório.
Os três primeiros lançaram editais prévios e fazem consultas públicas. As licitações definitivas do Maracanã, da Arena Recife e da Fonte Nova devem sair em setembro.

Mas há polêmicas com os clubes. Os times nordestinos reclamam de jogar nas novas arenas. Os cariocas, de ficar fora da concorrência pública.

O Estado do Ceará fará reunião na quinta para já definir a data da licitação do Castelão.
Enquanto isso, o COL estabeleceu novo prazo: os projetos definitivos das arenas têm que ser entregues até sexta-feira.

4 Respostas

  1. É que o legal é bater no Morumbi… tsc tsc

    Gabriel, notícias sobre o projeto apresentado pela GMP ao São Paulo?

  2. Como eu venho dizendo em TODOS os blogs! Todo o dinheiro desses estádios saíram do PAC, dinheiro público, na maioria federal (federaçao sustentada por SP) e imagina numa licitaçao de R$ 1 bi se não sobra dinheiro pra CBF, Politícos… é a vergonha da vergonha… sabotar projetos corretos, responsáveis como o Morumbi e a Arena da Baixada (moro em Curitiba e aqui a CBF tb está sabotando o estádio) para trocá-los por estádios elefantes brancos como o Engenhão!

    Pergunta, pq nao usar o Engenhao para a Copa? Pq gastaram um PUTA de um dinheiro publico sem utilidade nenhuma?

    Brasil… meu Brasil brasileiro… de politicos safados!

  3. Parece-me que o grande problema não é o Morumbi.

    A questão que incomoda a alguns é não haver, pelo menos até agora, disposição dos mandatários paulistas para enterrar centenas de milhões de reais num equipamento absolutamente desnecessário.

    O raciocínio parece ser o seguinte: Como São Paulo, maior e mais rico Estado da federação, não irá gastar um centavo com um novo estádio?

    Claro que a consequência prática da decisão de não gastar para a tal construção, é a não possibilidade da ocorrência de desmandos de toda a espécie (pelo menos no que se refere ao estádio).

    Até aqui, corretíssimos Serra e Kassab!

  4. ahaahahaa…E o Morumbi q é o grande problema da copa?.kkkkkkkkkkkk As mascaras vão caindo lentamente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: