Retomando as atividades

Passei os últimos dias doente e por isso quase não atualizei o blog. Mas, acompanhei o noticiário neste período. O que mais me chamou a atenção é o posicionamento da imprensa paulista (os colunistas) em defesa do Morumbi e contrários ao uso de dinheiro público para a construção de um novo estádio.

Outro ponto interessante foi o desmentido da CBF sobre a nota que saiu na Folha de S. Paulo na quinta-feira. O texto da coluna Painel FC dizia que um eventual veto do Morumbi seria por ordem do Ricardo Teixeira.

Já nesta segunda-feira, saiu na mesma coluna Painel FC que Marco Polo de Nero estaria radiante com essa história de que o Morumbi seria vetado. Isso tem um claro motivo que é a briga do São Paulo com a entidade. A outra seria o interesse da FPF na construção de um estádio dela.

De qualquer forma, fico pensando. Claro que as vezes o São Paulo toma algumas medidas arrogantes. Mas, qual seria a postura ideal? Depois de assumir rusgas contra a FPF, vai voltar atrás e ficar quietinho? Já estamos assim com a CBF… Será correto ficar quieto só para evitar desgastes políticos? E o que fazer quando acontece coisas como a do final do Brasileiro do ano passado?

Será que o fato do São Paulo não ter nem reclamado que o jogo contra o Santo André, que será em Ribeirão Preto já é uma mudança? A diretoria não reclamou, como costumaria fazer anteriormente.

4 Respostas

  1. Primeiro, parabéns pelo site.
    Segundo, viu a entrevista do juvenal na Terça dia 08 no globo esporte, no video que está no site, há duas plantas acredito serem do setor térreo e intermediário já do novo projeto, tem mais algum detalhe do novo projeto?

  2. Copa 2014: hora de fazer a lição de casa com juízo

    *Caio Luiz de Carvalho

    A Copa 2014 é uma grande conquista para o Brasil. Para se ter uma ideia, em 2006, na Alemanha, 27 bilhões de pessoas acompanharam pela TV, três milhões estiveram nos estádios e 18 milhões participaram das fan fests. Em 2014, os jogos deverão ser assistidos por 40 bilhões de espectadores, são esperados 600 mil visitantes e o turismo deve crescer 20% após o mundial.

    Mas a Copa também é responsabilidade. Até agora vimos belos projetos, mas maquetes não se transformam necessariamente em tijolos. Todos têm de fazer sua lição de casa. Não podemos novamente escancarar a torneira da verba pública para obras superfaturadas e subaproveitadas. Precisamos pensar no amanhã e é um erro seguir modelos. Como lembrou o presidente da Fifa, Joseph Blatter, não dá para comparar a Copa no Brasil com a da África ou da Alemanha, pois cada evento é único. Estamos em um país continental e a equação a resolver é complicada. I

    Na capital paulista, estamos agindo assim. Argumentos como “São Paulo merece um outro estádio” são irresponsáveis. Os altos custos e a manutenção de um novo equipamento pós 2014 em uma cidade que já possui estádios publico e privados subutilizados torna essa ideia insensata. Não queremos outro Engenhão.

    A Prefeitura e o Governo do Estado estão executando obras de R$ 33 bilhões que contemplam o maior desafio da metrópole, a mobilidade urbana. Essas medidas, já previstas até 2020, tiveram apenas seu cronograma ajustado a 2014. A conclusão do Rodoanel, novas linhas de Metrô (como a que chegará ao Morumbi) e novas frotas de trens estão entre elas. Esperamos deixar um proveitoso legado para a população.

    É claro que o estádio é importante. Por isso o São Paulo FC assumiu a reforma do Morumbi,e os investimentos públicos serao direcionados para o município. Em 2007, o clube assinou os acordos com a Fifa, agilizou a prospecção de parcerias e vai sim adequar a estrutura do Morumbi.

    Sao Paulo vai continuar lutando pela abertura do mundial, porém não a qualquer custo. Não iremos cometer loucuras. São Paulo tem suas credenciais. Recebe 75% dos voos internacionais que chegam ao Brasil, é de onde são distribuídos 70% dos voos para o pais, tem a maior e melhor rede hoteleira da América do Sul e é o centro econômico nacional, onde o investidor quer estar presente.

    Por essas razões, nossos esforços serao direcionados à cidade. É hora de arregaçar as mangas e agir, mas com transparência e, acima de tudo, juízo.

    *Presidente da SPTuris, coordenador do Comitê Paulista da Copa 2014 e professor da FGV. Foi presidente da Embratur e ministro do Esporte e Turismo.

    Escrito por Caito Carvalho às 20h09
    Ele é coordenador da Copa 2014 por SP.

    • Admiro muito esse Caio Luiz de Carvalho! É responsavel e coerente em seus discursos.

      Tem outra, alguém já pensou que não queremos estádios iguais aos da Europa? Queremos sim estádios modernos, mas com nossa identidade… o morumbi e a Arena da Baixada são dois excelentes estádios que tem sua história… a FIFA quer jogar no lixo isso e Europalizar (existe isso?!) os estádios. Estádios MODERNOS E BRASILEIROS JÁ!!!

  3. Kassab tem plano B para o Morumbi
    15/09/2009 11:30

    por Cabrini

    LANCEPRESS!
    Um representante da WTorre procurou o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, oferecendo a Arena Palestra como alternativa ao Morumbi, no caso de o projeto tricolor não ser aprovado. A empresa assumiria os custos de ampliação do estádio desde que a Prefeitura aprovasse o projeto para o mesmo local. Kassab recusou a oferta dizendo que, se o Morumbi não vingar, vai construir um estádio em Pirituba, na zona noroeste da cidade. Mas, por ora, o Morumbi, é a prioridade.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: