“Precisamos pressionar a Fifa”, diz presidente do Sinaenco – Portal da Copa – 30/06

brasil2014

“Precisamos pressionar a Fifa”, diz presidente do Sinaenco

Convidado para participar da primeira audiência pública para discutir as providências relativas à organização da Copa do Mundo de 2014, nesta terça-feira (30), em Brasília, o presidente do Sindicato Nacional das Empresas de Arquitetura e Engenharia (Sinaenco), José Roberto Bernasconi, alertou os parlamentares para a proximidade do Mundial.

“Faltam apenas cinco anos para a Copa, e o Brasil já está atrasado. É preciso que as autoridades competentes pressionem a Fifa para saber quais serão as sedes dos jogos de abertura e encerramento do campeonato, para que esses locais possam desenvolver os projetos e trabalhar com foco”, avisa. Bernasconi ressalta que a Fifa guardará essa informação pelo menos até 2010, o que dificultaria a preparação das capitais escolhidos.

O Caderno de Encargos da Fifa, que traz as exigências da entidade para a realização dos jogos, diz que para receber o jogo inaugural ou final da Copa o estádio deve ter capacidade para 60 mil expectadores. Mas as outras partidas requerem arenas com apenas 40 mil lugares. “A diferença é grande, e por isso são necessárias mais informações por parte da organização do evento para que seja realizado um planejamento. A Fifa nos cobrará mais tarde, e só poderemos corresponder a suas demandas se primeiro cobramos agilidade da entidade”, ressalta o presidente do Sinaenco.

Bernasconi conquistou o apoio dos participantes da audiência, que acontecerá periodicamente até o fim do ano. A iniciativa de reunir ministros de Estado, governadores, prefeitos, presidentes de empresa públicas, representantes do Comitê Organizador Local da CBF e representantes de segmentos organizados da sociedade civil foi das comissões de Fiscalização Financeira e Controle; Desenvolvimento Urbano, e de Turismo e Desporto, criadas com o objetivo de fiscalizar a utilização dos recursos públicos a serem destinados às obras de infraestrutura para a realização do mundial.

Disputa
Até o momento três capitais brasileiras estão interessadas no jogo de abertura da Copa de 2014. Belo Horizonte, São Paulo e Brasília dizem ter os requisitos necessários para receber o pontapé inicial do Mundial. Para a final, ainda não há briga: o Rio de Janeiro está confiante de que sediará a última partida da Copa no Brasil.

——————————————-
Bom, a “reclamação” está totalmente certa. Só não acho correta a utilização do termo “pressionar”.

Há quem diga que a escolha das cidades que vão abrir e fechar a Copa do Mundo será feita somente em 2011. E que isso seria uma forma de Ricardo Teixeira ter todos aos seus pés durante este período.

Especulações a parte, é necessário sim que essa definição seja feita o quanto antes. Na verdade, para a maior parte delas, não há essa disputa. Apenas São Paulo, Brasília e Belo Horizonte brigam para abrir a Copa. E o Rio de Janeiro é dado como certo para a final. Com isso, temos outras oito cidades que não precisam dessas definições para botar a mão na massa.

Sobre a abertura, será tema de ou outro tópico meu. Se depender de estádio, parece que será mesmo em Brasília. Que também levaria vantagem por ser a capital e ter menos trânsito. São Paulo tem o poder econômico e a estrutura de uma grande metrópole. Sinceramente, não vejo Minas na disputa. Em outra ocasião, eu explico o meu ponto de vista.

Anúncios

Painel FC – Folha de S.Paulo – 30/06

Caio Luiz de Carvalho da SP Turismo

Caio Luiz de Carvalho da SP Turismo

Pioneiro. O coordenador do comitê paulista da Copa de 2014 e presidente da SPTuris, Caio Luiz de Carvalho, refuta a noção de que o governador José Serra não apoia o Morumbi como estádio da Copa.

Memória. Caio aponta que foi Serra e o prefeito Gilberto Kassab que assinaram, ainda em 2007, documentação oficial ratificando o Morumbi. “”O governador não gosta de pirotecnia, apenas por isso não fica lembrando esse fato a todo momento”, explicou.

Dividida

“Em vez de ficar pegando no pé do Morumbi, deveriam estar mais preocupados com estádios que ainda nem saíram do papel”

Do são-paulino MARCO AURÉLIO CUNHA , sobre os críticos do Morumbi como estádio para a Copa de 2014
—————————————————————

A coluna Painel FC da Folha de S.Paulo é onde costuma sair mais “notícias” sobre a Copa do Mundo. Por ser uma coluna bastante lida e de alta repercussão, é comum que pessoas enviem ao responsável pela coluna as informações que se transformam em notas. Só que nem sempre são verdadeiras…

No domingo, comentei que a coluna falou sobre o Serra e Kassab defenderem nos bastidores a construção de um novo estádio. Hoje, terça-feira (30), essa informação é negada pelo presidente da São Paulo Turismo, Caio Luiz de Carvalho. Dessa vez é tudo com aspas.

O que o Caio disse é o que já ganhou força, mesmo nas notícias de bastidores, na última semana. Nada de novo, apenas a confirmação de que existe sim o apoio do estado e do município para o Morumbi em 2014.

Sobre a declaração de Marco Aurélio Cunha, apesar de concordar com o que ele disse, não acho que seja o caso de ficar criticando publicamente outros projetos.

Quantas vagas de estacionamento existem perto do Morumbi?

Vagas em um raio de 5km do estádio

Vagas em um raio de 5km do estádio

Depois de encontrar o projeto da cidade de Porto Alegre na internet, resolvi procurar mais o de São Paulo e acabei achando. Está no site da São Paulo Turismo e tem bastante informação.

Neste post vou falar um pouco sobre a questão de mobilidade, que é o tema da reunião do Comitê paulista que deve acontecer nesta semana. Fiquei com o assunto sobre estacionamento na cabeça, principalmente depois de ver o projeto de Porto Alegre. Me pareceu um absurdo colocar bolsões de estacionamento distante 2,5 quilômetros do Beira-Rio.  Como, aparentemente a Fifa aprovou, fiquei pensando o que tem na região do Morumbi.

Bom, nem precisou muito trabalho. Logo encontrei o que queria, já que comecei a pensar nas vagas dos locais próximos ao estádio.

Nesse projeto disponível do no site da São Paulo Turismo, fala-se em 4,8 mil vagas no edifício garagem a ser construído (recentemente tenho lido 3,8 mil vagas). Além disso, já existem 600 vagas dentro do estádio.

Dentro do raio de 1,5 km do estádio temos mais 9 mil vagas (sem considerar ao do prédio que deve ser construído). Essas vagas são divididas da seguinte forma:

Shop. Butantã – 2,4 mil vagas
Pão de Açúcar e Cobasi – 230 vagas
Morumbi Motor – 150 vagas
H. Albert Einstein – 3,48 mil vagas
Colégio P. Seguro – 900 vagas
Colégio M. de Cervantes – 500 vagas
Colégio S. Américo – 150 vagas
Igreja Mórmon – 200 vagas
Campo do Rebouças – 1 mil vagas

Existe um cálculo entre os especialistas em estádios que considera o número ideal de vagas deve será divisão da capacidade total do estádio por 4. Pelo projeto, o Morumbi terá 62.882 lugares, o que leva ao “número ideal” de 15.702 vagas. A soma das vagas citadas dá aproximadamente 13,5 mil. O que estaria muito próximo do “ideal”.

Além dessas vagas próximas ao estádio, existe um levantamento de vagas em um raio de 5 km do estádio. A idéia seria utilizar esses locais como ponto de saída para ônibus, vans e taxis. Neste raio, desconsiderando as que estão a 1,5 km, temos mais 33,5 mil vagas.

A SP Turismo também considerou os bolsões de estacionamento das estações de Metrô, que somam mais 6,31 mil vagas.

Bom, com esses números dá para chegar à conclusão de a parte de vagas de estacionamento não deve ser um grande problema para o Morumbi. Isso porque teremos o Metrô. Além disso, devido ao elevado número de turistas, muitos vão optar por outros meios de transportes, como taxis, vans e ônibus.

Para terminar, no projeto do Morumbi consta, em suas últimas páginas, uma cópia de uma lei e um decreto dos anos 60, assinados pelo prefeito Faria Lima, para a ampliação da praça Roberto Gomes Pedrosa, dentro dos padrões do projeto proposto pelo São Paulo.

Confira aqui o projeto em PDF (11 megas)

PS – Esse não é o projeto entregue à Fifa. É apenas uma versão resumida disponibilizada no site. E ainda não passou pelas novas alterações exigidas no começo de junho.

Projeto de Porto Alegre para 2014

Tive a curiosidade de pesquisar na internet um pouco sobre os projetos de outras cidades para a Copa de 2014. Para ter uma idéia dos problemas apontados em São Paulo e ver como está nas outras sedes.

Infelizmente o material disponível na internet é mínimo. O que mais me chamou a atenção foi o de Porto Alegre. Nele fica claro que há uma exigência da Fifa para restringir a circulação de veículos particulares em um raio de 2 quilômetros do estádio.

A capital gaúcha tem uma vantagem em relação a outras sedes por ter seu estádio na beira de um rio. Isso acaba limitando o impacto da restrição de circulação. Como dá para ver nas imagens publicadas aqui, existe uma grande área verde ao lado do estádio. No entanto, trata-se de um parque da Marinha, então pouco poderá ser mudado ai.

O que mais me chamou a atenção foi o local determinado para os bolsões de estacionamento. Em linha reta, a distância para o Beira-Rio é de mais de 2,5 quilômetros.  Pelo que deu para entender, parte do público será transportada de barco e outra parte por ônibus. Existirá a possibilidades de bicicletas e até mesmo via aérea (que neste caso deve ser helicópteros para autoridades). Agora, por via terrestre, a distância para o estádio pode chegar até 3,5 quilômetros.

Um ponto interessante é que a distancia do estádio Olímpico, do Grêmio, para o Beira-Rio, é pouco mais de 2 quilômetros. Isso quer dizer que o estádio rival poderá servir de estacionamento para quem for ao Beira-Rio.

O que me causa estranheza é o essa limitação de circulação. Por exemplo, se não pode entrar de carro dentro da área do estádio, como fica quem projeta estacionamento ao lado do estádio? Imagino que quem tenha ingresso consiga entrar nessa região, com o carro e entre no estacionamento que já estará previamente pago.

Quem quiser, pode ver o projeto completo da cidade:

http://www.estado.rs.gov.br/portoalegre2014/copapoa2014-08.pdf

Atualização: O projeto do Inter é sem dúvidas um dos melhores. Depois de ver o vídeo no site do Inter vi que existe o projeto para 2 estacionamentos ao lado do estádio. Um de 2 mil vagas e outro de 3,5 mil.

O Globo On Line – 28/06 (Lancepress)

Projeto original do estacionamento do Morumbi

Projeto original do estacionamento do Morumbi

Simulações no entorno do Morumbi

Os integrantes do Comitê Organizador de São Paulo para a Copa do Mundo de 2014 vão discutir esse semana detalhes do plano de mobilidade urbana, atendo-se mais especificamente ao entorno do Morumbi. Coordenador do Comitê, o presidente da São Paulo Turismo, Caio Carvalho, revela que a Avenida João Jorge Saad, uma das mais utilizadas atualmente por torcedores, deverá sofrer adaptações por parte da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) e da Polícia Militar (PM) já nos próximos jogos do Brasileiro.

– A Fifa exige um estacionamento com 50 mil metros quadrados e o São Paulo projeta algo em torno de 30 mil metros quadrados. Temos a via Jorge Saad, que serve ao público ultimamente. Mas por conta da nova estação de metrô, ela será uma das mais utilizadas pelos turistas a pé. É preciso simular situações – ponderou Caio. O secretário municipal de Esportes, Walter Feldman, e o secretário estadual, Claury Alves da Silva participarão do encontro no Palácio dos Bandeirantes. O São Paulo ainda define seus representantes, mas é provável que o arquiteto Ruy Othake, idealizador da reforma do Morumbi, também compareça. Novos ajustes no projeto não estão descartados, embora dificilmente irão ocorrer.

http://oglobo.globo.com/esportes/mat/2009/06/28/simulacoes-no-entorno-do-morumbi-756558298.asp

———————————

Aqui uma notícia informativa. Peguei ela do site do O Globo, mas ela é material do Lance. O que chama atenção é o fato do projeto do estacionamento do Morumbi, de acordo com o texto, ser menor do que a Fifa exige. Para isso, o Comitê fará simulações para prever alternativas.

Com uma estação de metrô nas proximidades, talvez a exigência da Fifa fique mais flexível. Sem contar que é possível avaliar outras alternativas, como o estacionamento do shopping Butantã. De acordo com o que pesquisei na internet, lá tem cerca de duas mil vagas e fica ao lado da futura estação São Paulo-Morumbi do Metrô.

Somadas as 3,6 mil vagas do projeto da prefeitura e com as 600 que deve ter dentro do estádio, são 6,2 mil vagas.

Bom, teremos novidades nos próximos dias.

Painel FC – Folha de S.Paulo – 28/06


lulanomorumbi

Siga o mestre

Cartolas viram uma alfinetada de Lula em José Serra na visita do presidente ao Morumbi, na terça-feira. Ao manifestar publicamente, mesmo que sem palavras, seu apoio ao estádio são-paulino como sede para a Copa do Mundo de 2014, o presidente praticamente obriga o governador paulista a seguir os seus passos -pelo menos institucionalmente. Porém há uma corrente dentro do governo paulista que defende a construção de uma nova arena, em Pirituba (zona norte da capital), com a utilização de dinheiro privado.
Top secret. Desde a visita de Lula ao Morumbi, o são- -paulino Juvenal Juvêncio é só sorrisos. A razão, diz ele a interlocutores, não foi só a presença, mas, sim, uma conversa reservada com o presidente da República, que não durou cinco minutos.

Retórica. Segundo o relato, Lula disse a Juvenal, na sala da presidência do clube, que a abertura da Copa será no Morumbi. E acrescentou: “”Mesmo que tenha de pôr dinheiro”. Mas Lula não detalhou a forma como isso seria feito.

Empenho. À saída da reunião, a dupla deu de cara com Gilberto Kassab. O presidente aproveitou para questionar o prefeito paulistano: “”Por que não ajuda o São Paulo?”. Kassab, então, afirmou estar disposto a doar um terreno para a construção da garagem.

————————

Bom, isso foi publicado na Folha de domingo. Apesar de ser uma importante coluna do jornal paulistano, as informações nem sempre são confiáveis.

O primeiro ponto a ressaltar é a disputinha política que estaria acontecendo. José Serra, que não gostaria de ver o Morumbi, contra o Lula que aparentemente quer. O que me chamou a atenção é que voltam a falar do uso do terreno de Pirituba para a nova arena. Durante a semana que passou, chegou a ser noticiado que essa área, que isso não deve acontecer nesse local.

Outra questão curiosa são as notas sobre conversas com portas fechadas. Nunca saberemos a verdade. Mas é estranha a informação que o Lula sinalizou com o uso de dinheiro público no Morumbi. Mas, como a coluna mesmo diz, não foi dada nenhuma explicação. Um empréstimo do BNDES é uma solução. É recurso público, mas é empréstimo. Mas, todos sabem que os clubes de futebol não são bons pagadores…

Tem mais coisa mal contada no texto. Quando o prefeito Kassab teria dito que doaria a área para o estacionamento. Na verdade, pelo que me consta, ele faria uma concessão, por X anos, para uma empresa que ficaria com os direitos de exploração do local. Depois disso, a área voltaria a ser da prefeitura.

Para o São Paulo, o mais importante é ter garantido o apoio institucional do governo federal. Isso dará tranqüilidade e facilitará na busca por parceiros para o estádio.

Boas vindas

Logotipo da cidade de São Paulo

Logotipo da cidade de São Paulo

Muito bom dia a todos.

Meu nome é Gabriel Codas, tenho 29 anos e sou jornalista e São-paulino. Minha obsessão pela realização da Copa do Mundo de 2014 fez com que eu tivesse a vontade de criar um blog. Neste espaço serão publicadas notícias publicadas na imprensa sobre o assunto. Em cada uma delas haverá o meu comentário.

Vejo a utilização do Morumbi em 2014 como um fator fundamental para que o São Paulo mantenha a hegemonia no futebol nacional. É com um estádio moderno e rentável que vamos atrair mais público, mas torcedores e montar equipes cada vez mais fortes. Para isso, acredito que sejam inevitáveis alguns sacrifícios.

Um grande abraço a todos.